08/05/2014 às 11h27min - Atualizada em 08/05/2014 às 11h27min

Estudo: 22% sofreram agressão na infância

Arranhar, beliscar, empurrar e bater até causar marcas são as formas mais comuns, segundo a pesquisa

Do Metro São Paulo - noticias@band.com.br

Band

Um em cada cinco brasileiros diz ter sido agredido fisicamente por pais ou cuidadores durante a infância ou a adolescência. Desses, 20% afirmaram que o agressor estava sob efeito de álcool. Os dados fazem parte do 2° Lenad  (Levantamento Nacional de Álcool e Drogas), e foram divulgados nesta quarta-feira pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

 

Arranhar, beliscar, empurrar e bater até causar marcas são as formas mais comuns. Outros 9% afirmam que foram insultados ou humilhados pelos próprios pais ou cuidadores.

 

O abuso sexual também apareceu no levantamento: 5% dos a 4.607 brasileiros entrevistados em 149 municípios brasileiros relataram ter sido alvo desse tipo de agressão. Destes, 7% são meninas e 3%, meninos. Questionados sobre bullying na escola, 13% disseram ter sofrido com o problema na infância ou na adolescência.

 

A coordenadora da pesquisa, Clarice Sandi Madruga, afirma que o quadro revelado pelo levantamento mostra que a violência é um comportamento incorporado à cultura do país e vem de gerações.

 

Segundo Clarice, existe uma relação muito grande entre a violência na infância e o uso de álcool e drogas na vida adulta. Mais da metade dos entrevistados que admitem ser dependentes de cocaína relatam ter sofrido alguma violência (52%). Entre a população geral, a porcentagem é bem menor – 21%. “Além de serem mais propensas a utilizar drogas, estudos apontam que pessoas abusadas na infância ou na adolescência também têm mais chance de desenvolver depressão”.

 

Link
Comentários »
Notícias Relacionadas »
ss