14/11/2017 às 08h40min - Atualizada em 14/11/2017 às 08h40min

Inquérito de lesão corporal de advogada deve sair em 10 dias

- Redação

A delegada titular da Delegacia da mulher, Wanda Leite, afirmou nesta segunda-feira (13), que o inquérito policial sobre a lesão corporal grave, que teve como vítima a advogada, Ludmila Rosa Ribeiro da Silva, de 27 anos, será remetido no prazo de 10 dias para o Poder Judiciário. De acordo com a polícia, a advogada foi agredida fisicamente pelo ex-marido, Lúcio André Genésio, no último sábado (11). Lúcio chegou a ser preso em flagrante e solto após pagar fiança, mas no último domingo (12), teve decisão revogada pelo Juiz Clésio Coelho Cunha, que decretou sua prisão.

Segundo a delegada que investiga o caso, Wanda Leite, testemunhas serão ouvidas ao longo da semana. O resultado dos exames periciais, a que Ludmila Rosa foi submetida também deve sair nos próximos dias.

Ainda de acordo com a delegada, após os procedimentos o inquérito policial será encaminhado ao Poder Judiciário com motivação e autoria definida. O inquérito deverá ser encaminhado no prazo de 10 dias para a justiça.

Mandado de prisão

O juiz plantonista Clésio Coelho Cunha, decretou a prisão preventiva de Lúcio André Genésio em razão de agressões físicas cometidas contra sua ex-mulher, Ludmila Rosa, a pedido do Ministério Público, por meio da promotora de justiça, Bianka Sekker Sallem. O magistrado ainda pediu que a Corregedoria da Polícia Civil investigasse o delegado Valter Braga, que arbitrou fiança ao acusado.

Ludmila declarou ao Ministério Público que foi agredida fisicamente pelo ex-marido por diversas vezes ao longo do relacionamento. Em um dos casos, a advogada estava grávida e foi agredida pelo ex-companheiro, na cidade de Pinheiro.

A vítima disse ainda que no último sábado (11), começou a ser espancada, da Lagoa da Jansen até próximo à sua residência, no Bairro da Cohama. Teve o celular quebrado e ainda foi jogada para fora do carro.

Em nota a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MA), declarou repudio a todo tipo de violência praticada contra as mulheres e se solidariza com a advogada Ludmila Rosa Ribeiro da Silva, que foi vítima de violência moral e física praticada pelo ex-companheiro.

A OAB/MA colocou ainda à disposição da vítima, a Comissão da Mulher e da Advogada além da Comissão de Acompanhamento das Vítimas de Violência para que sejam tomadas todas as providências legais e cabíveis para que o ato violento seja submetido aos preceitos legais. 

Saiba mais desta e de outras notícias em emaranhense.com.br ou acesse nosso facebookVocê pode enviar a sua denúncia para nosso e-mail jornalismo@emaranhense.com.br.

Link
Comentários »
Notícias Relacionadas »
ss