18/07/2014 às 10h08min - Atualizada em 18/07/2014 às 10h08min

Top 5: as revelações da Copa 2014

Da Redação esportes@band.com.br
Toshifumi Kitamuna/AFP

A Copa do Mundo mostrou ao mundo do futebol grandes revelações. Jogadores que chegaram ao Brasil jovens, sem experiência em grandes competições, mas que mostraram não se importar com isso e jogaram muita bola. A lista elaborada pelo Portal da Band conta desde jogadores que chegaram desconhecidos ao Brasil até aqueles que superaram desconfianças para brilhar por suas seleções. Confira a lista:

1 – James Rodríguez (Colômbia)

Camisa 10 de uma seleção que não jogava uma Copa do Mundo desde 1998, James Rodríguez superou todas as expectativas no Mundial. Mesmo com uma geração considerada “de ouro”, ninguém esperava que a Colômbia desempenhasse tão bem esse papel. 

James foi simplesmente o artilheiro da Copa isolado com seis gols, além de ter marcado aquele que muitos consideram o gol mais bonito da competição, quando contra o Uruguai matou a bola no peito e chutou no ângulo sem deixar ela cair.

Atuou nas cinco partidas de sua seleção no Mundial e acabou chamando a atenção dos grandes clubes europeus, que agora lutam para o tirar do Mônaco.

2 – Paul Pogba (França)
 

Franceses comemoram gol na tranquila vitória sobre a Suíça

Franceses comemoram gol na tranquila vitória sobre a Suíça

Pogba (19) comandou o meio campo da França. Foto: Franck Fife/AFP


Não à toa foi eleito pela Fifa como a revelação da Copa do Mundo. Com apenas 21 anos e estreado pela seleção somente em 2013, em pouco tempo adquiriu papel fundamental para a França, comandando o meio campo de um time bastante reformulado.

Apesar da pouca idade, é um dos únicos da lista que já chegou ao Mundial com status de astro, já que é titular absoluto da Juventus, campeã italiana.

Atuou nas cinco partidas da França no torneio e apesar de ser volante, marcou um gol, o que abriu caminho para a vitória por 2 a 0 sobre a Nigéria nas oitavas de final, quando também foi eleito o melhor em campo. Chama atenção pelo estilo clássico de jogo.

3 – Memphis Depay (Holanda)
 
Depay marcou o gol da vitória da Holanda no segundo tempo

Depay marcou o gol da vitória da Holanda no segundo tempo

Depay era o 12º jogador da Holanda na Copa. Foto: Damien Meyer/AFP


Com apenas 20 anos, o jovem atacante chegou ao Brasil tendo disputado apenas seis partidas com a camisa da tradicional Holanda. Apesar de ser o único da lista que não era considerado titular absoluto de sua equipe, mostrou ter a confiança do técnico Louis van Gaal e sempre que entrou, chamou a responsabilidade para si e conseguiu mudar a cara do jogo.

Na primeira fase jogou estreou na partida contra a Austrália, quando a Holanda tinha muita dificuldade para superar o time da Oceania e foi responsável direto pela vitória Laranja com um gol de um chute de longe aos 23 minutos do segundo tempo.

Jogou também contra o Chile, quando voltou a marcar o gol que garantiu a vitória holandesa aos 47 do segundo tempo, além das partida contra o México e Costa Rica, quando começou entre os 11 titulares. Na Copa se tornou po holandês mais jovem a marcar na competição. Atua pelo PSV.

4 – Mario Götze (Alemanha)
 
Götze beija taça de campeão

Götze beija taça de campeão

Götze marcou o gol do título alemão. Foto: Patrik Stollarz/AFP


Junto com Pogba é o que já chegou ao Brasil conhecido, mas tinha um peso muito maior nas costas para tirar. Ao trocar no ano passado o Borrusia Dortmund pelo rival Bayern de Munique, começou a ser tratado como Judas em seu país, mas nada que um tetracampeonato não possa mudar.

Jogou seis, das sete partidas da Alemanha no Mundial e em duas delas foi eleito o melhor em campo, inclusive na final contra a Argentina, quando marcou na prorrogação o gol que garantiu o título aos germânicos De Judas, passou ser “Deus” na imprensa alemã.

Com a rotatividade de jogadores alemães, alternou entre jogos como titular e reserva, mas sempre foi considerado um dos jogadores mais importantes pelo treinador Joachim Löw.

5 – Marcos Rojo (Argentina)
 
Rojo mostrou personalidade com a camisa da Argentina

Rojo mostrou personalidade com a camisa da Argentina

Rojo mostrou personalidade com a camisa da Argentina. Foto: Adrian Dennis / AFP


Jogador do Sporting de Portugal, chegou ao Mundial com desconfiança de seus compatriotas, que superou ao longo da competição.

Da sete partidas da Argentina na Copa, o lateral de 24 anos ficou de fora apenas das quartas de final por ter levado seu segundo cartão amarelo na partida contra a Suíça.

Foi um dos responsáveis por tornar a mal falada zaga argentina em um dos pontos positivos da equipe, que não tomou gol no mata-mata durante o tempo normal dos jogos e se mostrou um bom roubador de bolas. Ainda marcou um gol na vitória contra a Nigéria, quando até então, apenas Messi havia marcado para a Argentina.

Com a grande Copa do Mundo que fez começa a ser especulado em times de primeira linha da Europa e dificilmente deve seguir em Portugal.

 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp