24/10/2016 às 10h45min - Atualizada em 24/10/2016 às 10h45min

Para acordo, PGR exigiu Cunha preso por 15 anos.

Ao ser informado, político reagiu: “Não aceito um só dia de prisão!”

- Do Metro Jornal noticias@band.com.br
Rodolfo Buhrer/Reuters

O ex-deputado Eduardo Cunha rechaçou, há dois meses, a primeira tratativa para um eventual acordo de delação premiada.

A Procuradoria Geral da República (PGR) admitiu iniciar negociações, mas avisou que não abriria mão de ao menos 15 anos de prisão em regime fechado para o político, de acordo com o colunista do Metro Jornal Cláudio Humberto. Ao ser informado da proposta dos procuradores, Cunha reagiu fortemente: “Não aceito um só dia de prisão!”

 

A força-tarefa trabalha para obter uma condenação de 160 anos para Eduardo Cunha. A sondagem sobre eventual negociação de acordo de delação foi feita por uma advogada, aparentemente à revelia do ex-deputado. Os procuradores acham que a advogada aproveitou um despacho sobre processos para sondá-los sobre o interesse em eventual acordo.

A defesa aconselhou Cunha a se habituar à ideia de que, mesmo com acordo de delação, ele vai passar longa temporada na prisão.

Pânico.

A jornalista Cláudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha, tem enfrentado problemas de saúde. “Ela somatizou tudo de uma vez”, diz uma amiga. Cláudia tem sofrido inclusive ataques de pânico.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp