24/11/2014 às 17h37min - Atualizada em 24/11/2014 às 17h37min

Acusado de pagar propina a Roseana se entrega à PF

http://www.gazetadailha.com.br/

Último foragido da operação Lava-Jato se revela disposto a contribuir com as investigações criminais.

Apontado pela Polícia Federal como o último foragido na sétima etapa da Operação Lava-Jato, Adarico Negromonte Filho entregou-se à PF em Curitiba na manhã desta segunda-feira. Ele chegou a pé, acompanhado por um advogado e um segurança. Com sorriso no rosto e aparentemente tranquilo, ele entrou pela porta principal, sem tentar se esconder.

Negromonte, um dos 25 investigados nesta fase da Lava-Jato, é o irmão mais velho do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte, e trabalhava para o doleiro Alberto Youssef. Segundo a PF, sua função era entregar dinheiro a políticos.

negromonte-pagador-de-propina-a-roseana-sarney

Ele foi acusado por Alberto Youssef, para quem trabalhava, de pagar propina em espécie à governadora do Maranhão, Roseana Sarney.

De acordo com as investigações, ele levava dinheiro do escritório do doleiro até os agentes públicos e partidos políticos. Ele teve a prisão decretada pela Justiça Federal do Paraná na semana passada. A defesa chegou a entrar com um pedido de revogação da prisão temporária.

No seu pedido, a advogada Joyce Roysen diz que seu cliente “vem sendo considerado como “foragido da Justiça, o que não é condizente, pois em momento algum foi realizada diligência em sua residência na cidade de Registro, para o cumprimento da medida coercitiva”.

“Assim, o requerente, por não suportar mais as mazelas da prisão temporária decretada por Vossa Excelência, por intermédio de suas advogadas, entrou em contato com a Polícia Federal de Curitiba e informou que se apresentará nesta segunda-feira, dia 24, a fim de que possa contribuir com as investigações criminais”, diz a petição da advogada.

A criminalista aguarda um posicionamento da Justiça sobre o pedido de liberdade de Adarico. Ela alega que ele tem idade “avançada”, 68 anos, e que o quadro de saúde também é “delicado”. Joyce argumenta ainda que seu cliente permaneceu em casa nos últimos dias, antes da apresentação à PF.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp