26/06/2013 às 13h17min - Atualizada em 26/06/2013 às 13h17min

Deputada quer explicações sobre conduta policial durante manifestações

Vários parlamentares da base do governo e da oposição se solidarizaram com a deputada

TVMaranhense

A presidente da Comissão de Direitos Humanos e das Minorias, deputada Eliziane Gama, criticou a ação dos policiais na tentativa de reprimir a manifestação pacífica ocorrida na última segunda-feira, dia (24).

Na tribuna da Assembleia Legislativa, a parlamentar denunciou o despreparo e a truculência dos policiais contra os manifestantes e que resultou em confronto e revolta. Ela informou que a Comissão de Direitos Humanos encaminhará as denúncias para a OAB, Ministério Público, Ouvidoria de Segurança Pública e Corregedoria da PM pedindo providências.

“Não quero generalizar, mas infelizmente os policiais não estão preparados para manifestações no nosso Estado do Maranhão. Quero registrar o meu repúdio e indignação, e afirmar que vou encaminhar a OAB, Ministério Público e Corregedoria da Polícia Militar do Maranhão, para que as devidas providências sejam tomadas e seja aberto um procedimento para apurar a conduta dos militares”, assegurou.

Eliziane Gama lembrou que sempre apoiou o movimento dos militares por melhorias para a categoria, e ressaltou que tem respeito pela Polícia Militar do Maranhão, mas lamentou o despreparo diante das mobilizações.

O protesto intitulado “São Luís Acordou” iniciou às 17h em frente ao Tropical Shopping no Renascença e seguiu para a Assembleia Legislativa. Os manifestantes se dispersaram logo depois do confronto com a cavalaria e a Tropa de Choque da Polícia Militar.

A informação é que após confronto, os manifestantes se retiram da Assembleia Legislativa, e um grupo menor se dirigiu ao elevado da Cohama e fechou as duas vias da Avenida Jeronimo de Albuquerque. O CPM e a Tropa de Choque dispersaram os manifestantes com spray de pimenta e balas de borracha.

Segundo o relato da parlamentar, foi neste momento que ela passava no local e tentou socorrer uma jovem desmaiada, e recebeu ameaça e ordem de prisão de um PM, identificado como major Welligton.

“Estava indo à casa da minha mãe, no São Cristóvão e passamos pela rotatória da Cohama e ficamos lá aproximadamente uma hora parados. Estava lá e vi que não houve nenhuma ação dos jovens de forma truculenta ou tentando afrontar a ação da polícia. Quando de repente chega a Tropa de Choque da PM com bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha dispersando a multidão”, contou.

De acordo com a parlamentar, ao ver uma jovem desmaiada tentou socorrê-la e mesmo se identificando como deputada estadual foi hostilizada por um policial militar.

Eliziane Gama destacou que os motivos das manifestações são legítimos. A parlamentar lembrou lutas históricas como a Marcha dos 100 Mil, em 1968, pelo fim da Ditadura no Brasil, as Diretas Já na década de 80, e o movimento para o Impeachment do presidente Fernando Collor.


Durante a sessão de ontem terça-feira (25), vários parlamentares da base do governo e da oposição se solidarizaram com a deputada Eliziane Gama e criticaram a ação da polícia contra os manifestantes.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp