10/06/2014 às 08h52min - Atualizada em 10/06/2014 às 08h52min

Inadimplência do consumidor sobe 2,4% em maio, revela Serasa Experian

O acumulado dos primeiros cinco meses de 2014, em relação ao mesmo período do ano anterior, apresentou queda de 1,9%.

Serasa Experian

São Paulo, 10 de junho de 2014 – O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor teve alta de 2,4% em maio, na comparação com abril deste ano. Na variação anual – maio de 2014 contra o mesmo mês de 2013 – o índice registrou crescimento de 0,3%. O acumulado dos primeiros cinco meses de 2014, em relação ao mesmo período do ano anterior, apresentou queda de 1,9%.

Segundo os economistas da Serasa Experian, a alta da inadimplência de 2,4% em maio/14 (a sétima dentre as oito últimas leituras mensais a partir de out/13) e o avanço de 0,3% frente a maio/13, a primeira alta interanual desde junho/13 – foram onze meses consecutivos de quedas interanuais da inadimplência – sugerem que a inadimplência dos consumidores comece a desenhar uma trajetória de elevação.

O aumento do custo das dívidas pelas sucessivas elevações das taxas de juros, a manutenção da inflação em patamar elevado, oscilando ao redor do limite superior da margem de tolerância para a meta de inflação e o enfraquecimento da atividade econômica, gerando menor dinamismo no mercado formal de trabalho figuram entre as causas que explicam o comportamento da inadimplência ao longo destes últimos meses, avaliam os economistas.

A inadimplência não bancária (junto aos cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica, água etc.) e as dívidas com os bancos foram as principais responsáveis pela alta do indicador, com variações positivas de 2,0% e 1,9% e contribuições positivas e idênticas de 0,9 p.p..

Os cheques sem fundos também cresceram 7,7% e contribuíram com 0,6 p.p. Os títulos protestados subiram 0,7%, mas apresentaram contribuição nula no índice de maio de 2014. Veja os dados completos na tabela abaixo:

Decomposição do Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor

Mai 2014 X Abr 2013

 

Dívidas não bancárias

Bancos

Protestos

Cheques

Total

Variação (%)

2,0

1,9

0,7

7,7

2,4

Peso (%)

43,4

47,6

1,5

7,5

100,0

Contribuição (p.p.)

0,9

0,9

0,0

0,6

2,4

 Fonte: Serasa Experian

Cai o valor médio da inadimplência não bancária

 

O valor médio da inadimplência não bancária apresentou queda de 2,2% nos primeiros cinco meses de 2014, na comparação com o mesmo período do ano anterior. As dívidas com os bancos também registraram declínio de 8,4%. Já os títulos protestados e os cheques sem fundos tiveram alta de 4,8% e 3,7%, respectivamente. Confira mais informações na tabela abaixo:

 

Modalidades de Inadimplência

Valor médio das dívidas Jan a Mai 2013

Valor médio das dívidas Jan a Mai 2014

Variação (%)

Dívidas não bancárias

R$ 324,57

R$ 317,41

-2,2%

Dívidas com os bancos

R$ 1.377,50

R$ 1.262,13

-8,4%

Títulos protestados

R$ 1.374,53

R$ 1.440,39

4,8%

Cheques sem fundos

R$ 1.614,43

R$ 1.674,05

3,7%

Fonte: Serasa Experian

A série histórica deste indicador está disponível em:

www.serasaexperian.com.br/release/indicadores/inadimplencia_consumidor.htm

Metodologia do Indicador

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional. Considera as variações registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados, dívidas vencidas com bancos e dívidas não bancárias (lojas em geral, cartões de crédito, financeiras, prestadoras de serviços como fornecimento de energia elétrica, água, telefonia etc.) em todo o país. Por levar em conta o inadimplemento das pessoas físicas nas mais diversas modalidades – e não apenas dentro do sistema financeiro –, o índice da Serasa Experian consegue capturar movimentos cíclicos de inadimplência, que, muitas vezes, revelam ocorrências que vão se manifestar no sistema bancário dentro de 6 a 12 meses.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp