09/06/2014 às 11h16min - Atualizada em 09/06/2014 às 11h16min

SP: secretário confirma demissão de 60 grevistas

Grupo estava envolvido com vandalismo e em atos de bloqueio à entrada de funcionários em estações do Metrô

A Secretaria de Transportes Metropolitanos já demitiu 60 funcionários do Metrô de São Paulo que não voltaram ao trabalho e realizaram atos de vandalismo. “Neste caso, é um pouco mais grave. Esses casos [são de funcionários que] já praticaram atos de vandalismo, obstrução, utilizaram equipamento de som de forma irresponsável”, disse o secretário Jurandir Fernandes ao"Café com Jornal".

 

Eles estão sendo notificados, desde as 8h, por carta, internet, e também por serviço de entrega de mensagem expressa, que foi contratado pela secretaria. De acordo com a assessoria da pasta, novas demissões podem acontecer ainda hoje.

 

“O direito dessa greve foi suspenso a partir do momento em que o TRT (Tribunal Regional do Trabalho) a declarou ilegal e abusiva”, comenta o secretário. “Se não cumprirmos o que foi determinado pelo TRT, também estaremos prevaricando”.

 

No setor de operação de plataforma, o Metrô deveria ter 1.198 funcionários. Por volta das 8h30, o sistema contava com 324, cerca de 27%. "Para se ter uma ideia, esse número na quinta, na sexta era de 1% ou 2%. Ou seja, cresceu bastante o número daqueles que estão retornando ao trabalho", aponta Fernandes. Caso o contingente restante de metroviários não retorne às suas funções, ele será demitido. "Se, até a tarde, esses que não retornaram não justificarem [a falta] por motivo de saúde, algo que justifique a ausência dele, todos serão notificados com a demissão por justa causa".

 

Com os grevistas negando-se a retornar, eles poderão ser substituídos por funcionários terceirizados no setor operacional e de segurança. “Se não houver número suficiente, continuaremos operando os trens com nossos supervisores. Esse é uma área mais cuidadosa[a de condução das composições], em que não colocamos terceirizados”. Até as 8h30, 12% dos condutores já haviam retornado a seus postos. "À medida em que formos recebendo operadores novos de trem, vamos ampliando a rede", diz o secretário.

 

Secretário diz que mais devem ser demitidos ao longo do dia:

 

Parcial

As linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha do Metrô de São Paulo operam parcialmente na manhã desta segunda-feira, quinto dia de greve dos metroviários.

 

Os trens da 1-Azul circulam entre Ana Rosa e Luz; os da 2-Verde, entre Ana Rosa e Clínicas. A linha 3-Vermelha tem operação entre a Bresser-Mooca e Marechal Deodoro.

 

As outras duas linhas, 4-Amerala e 5-Lilás, operam normalmente, tal como aconteceu nos outros quatro dias. O mesmo vale para a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), que tem circulção normal.

 

Em razão da paralisação, mais uma vez, o rodízio de veículos está suspenso na capital paulista. Com a medida, veículos com placas final 1 e 2 podem circulação pelo centro expandido de São Paulo nesta segunda.

 

Manifestantes fecharam rua para protestar:


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp