27/03/2014 às 10h07min - Atualizada em 27/03/2014 às 10h07min

Policias Militares decidiram paralisar as atividades no Maranhão

Outras cidades do Maranhão também aderiram o movimento, entre elas, Imperatriz, Timon, Caxias, Bacabal, Matões, Parnarama e já cruzaram os braços

Da Redação - emaranhense.com.br
*Com informações do Blog Jhon Cutrim
Após uma assembléia geral realizda na noite desta quarta-feira (26) na Fetiema, a PM resolveu paralisar os trabalhos. Os militares estão aquartelados no estacionamento da Câmara Municipal, localizado no Centro de São Luís. 
 
Outras cidades do Maranhão também aderiram o movimento, entre elas, Imperatriz, Timon, Caxias, Bacabal, Matões, Parnarama e já cruzaram os braços. Há possiblidade de a paralisação chegar a atingir os policiais militares, do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. 
 
Os principais motivos do movimento é contra o reajuste de apenas 7% concedido, em ano eleitoral, pela governadora Roseana Sarney à categoria. Segundo os policiais, não se trata de aumento, mas de reposição salarial, pois refere-se a perdas salarias e não a aumento real de vencimentos.
 
Entre outras reivindicações, a anistia do Cabo Campos e Soldado Alexandre Leite, 5,6% que o governo deu para novembro que seja para abril e 8% em novembro.
 
Com menor efetivo de policial do país, os policiais militares maranhenses pedem implantação de reajuste de 18% (mesmo percentual que foi concedido a servidores de outras categorias) e das perdas salariais, além de mudanças nos critérios de escalonamento, promoção e jornada de trabalho, adicional por periculosidade, substituição dos coletes balísticos e das munições que estão sendo usados com prazo de validade vencido. Falta armamento e até fardas para os policiais.
 
Segundo os PMs, “sempre que se concede um reajuste a servidores públicos, a categoria fica de fora, e o reajuste anunciado recentemente, de 7%, não é um aumento real, pois é referente ao acordo firmado em 2011.
 
 
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp