06/11/2017 às 09h44min - Atualizada em 06/11/2017 às 09h44min

Ex-padrasto de Alanna Ludmilla confessou que matou e enterrou a menina no quintal da própria casa

- Redação

O ex-padrasto de Alanna Ludmilla, Robert Serejo, de 31 anos, confessou em depoimento que estuprou e matou por asfixia a menina. A informação foi divulgada em entrevista coletiva realizada na tarde deste sábado (4). Segundo as informações repassadas na coletiva, Robert informou que agiu sozinho durante todo o crime.

De acordo com informações da polícia, Robert informou que, no dia do crime, pulou o muro da casa da vítima e conseguiu entrar porque tinha uma cópia da chave, que ninguém sabia. Ao entrar na residência, encontrou a menina sozinha. Ela gritou, mas ele tampou a boca dela com a mão e depois cometeu abuso sexual. Depois do crime ele disse que a matou asfixiada e a enterrou no quintal da casa. Robert também confessou que levou a mochila da menina para outro bairro e que sabia que a mãe não estava na casa no dia do crime.

O laudo oficial da perícia ainda não tem data definida, mas deve ser divulgado nos próximos dias. Uma das delegadas que cuida do caso disse que até agora não há indícios da participação da mãe da criança.

Robert não está mais em no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Por motivo de segurança ele passou por triagem e agora está no Quartel em cela diferenciada em razão da segurança que corria.

Tentativa de fuga

Robert foi encontrado na manhã do último sábado (04), quando tentava fugir para o interior do estado em uma van. Na van haviam dois sargentos, Burgos e César, lotados no 6º BPM. Eles estavam a caminho de um evento esportivo no município de Pirapemas. Robert foi reconhecido pelos policias que, imediatamente, solicitaram que o motorista parasse o veículo na barreira policial da BR-135. O réu usava a mesma roupa de quando prestou o primeiro depoimento, na madrugada da última quinta-feira (02), após o desaparecimento da pequena Ludmila.

O enterro

Na manhã do último sábado (04), com muita dor e revolta, familiares e amigos deram o último adeus à pequena Alanna Ludmila. O corpo da menina foi velado na Unidade Integrada Marly Sarney, no bairro do Maiobão, escola em que estudava. Onde centenas de pessoas, sensibilizados com a perda, prestaram suas últimas homenagens. O corpo foi transportado em carro do corpo de bombeiro para o cemitério da Pax União, no município de Paço do Lumiar. Ao chegar no cemitério o corpo de Alanna foi recebido com muitos aplausos. A mãe de Alanna Ludmila estava no enterro e pedia incessantemente por justiça. 

Saiba mais desta e de outras notícias em emaranhense.com.br ou acesse nosso facebookVocê pode enviar a sua denúncia para nosso e-mail jornalismo@emaranhense.com.br.

Link
Comentários »
Notícias Relacionadas »
ss