04/06/2014 às 17h59min - Atualizada em 04/06/2014 às 17h59min

Sejap oferece Curso de Artesanato a presos

TV Maranhense

Sejap

A Secretaria de Estado de Justiça e de Administração Penitenciária (Sejap), por intermédio da coordenação de Profissionalização, Trabalho e Renda, está oferecendo, em todas as unidades prisionais da capital, o Curso de Artesanato destinado aos presos do Sistema Carcerário maranhense. Intitulado de “Oficina Criativa Artesanal”, o projeto está atendendo internos do Presídio Feminino e da Unidade Prisional de Ressocialização (UPR) de Paço do Lumiar. A ação, que objetiva beneficiar mais de 100 detentos, se estenderá para Imperatriz.

Com a capacitação, os internos estarão aptos a produzir chinelas e cadernetas. Além disso, eles confeccionam fivelas para cabelo, artesanato em feltro e outros acessórios. Para a coordenadora de Profissionalização, Trabalho e Renda, Alice Magalhães, a proposta é garantir qualificação profissional aos apenados, garantindo-lhes oportunidade de geração de renda. “O objetivo é que os presos aprendam um ofício no intuito de obterem uma renda alternativa. A gente oferta é o treinamento para que, ao sair, eles tenham uma ocupação”, disse ela.

O curso, ministrado pela terapeuta ocupacional Ozires Santos, combina conhecimentos das ciências médicas e sociais. Para ela, a iniciativa avalia funções físicas, psicológicas e sociais de cada apenado. Conforme a profissional, as aulas contribuem, também, com a mudança de comportamento, possibilitando uma reinserção social digna. “A iniciativa consiste em tratar e motivar o apenado a mudanças de atitudes e hábitos, combatendo o ócio dentro das unidades”, explicou.

Um dos internos beneficiados com o curso é Marco Antonio da Silva Costa, custodiado na UPR de Paço do Lumiar. Ele encontrou na oportunidade uma chance de ajudar financeiramente a família. “Eu penso em fazer deste ofício minha fonte de renda. Aprendi bastante e posso até me especializar mais. Quero repassar os conhecimentos adquiridos também para minha família”, comentou o interno.

Interna da unidade feminina de Pedrinhas, Maria das Dores, disse que já sabia um pouco sobre este tipo de produção, mas o curso veio ampliar esse conhecimento. “Achei muito bom como foram repassados os ensinamentos. Eu já confeccionava colares e pulseiras e aqui aprendi a trabalhar com esses outros materiais”, disse Maria.

Link
Notícias Relacionadas »
ss