13/06/2019 às 08h55min - Atualizada em 13/06/2019 às 08h55min

Homem que prendeu e atirou na cabeça da ex companheira em motel de São Luís, é absolvido pelo Tribunal

Nesta quarta-feira (12), os jurados do 1º Tribunal do Júri de São Luís absolveram Eliezer da Cunha Reis pela tentativa de feminicídio contra Weslayne Maiane Correa. Em abril de 2018, a vítima foi sequestrada, mantida em cárcere privado em um motel de São Luís e sobreviveu após levar um tiro na cabeça.

Eliézer estava preso preventivamente desde a época do crime, mas a sentença também revogou a prisão. Condenado a três anos de prisão apenas relação ao cárcere privado, o réu pode cumprir a pena em regime aberto e recorrer em liberdade.

A sessão de julgamento em Júri Popular foi presidida pelo juiz Osmar Gomes dos Santos. Logo após a sentença, o Ministério Público recorreu da decisão dos jurados por entender que foi contrária à prova dos autos.

O caso

Eliézer não aceitava o fim do relacionamento de quatro anos com Weslayne. No dia 5 de abril de 2018, Eliézer armou um plano, sequestrou a vítima e a levou para um motel do Bairro de Fátima, na capital. Mesmo negociando com a polícia, ele atirou na cabeça da refém.

Weslayne conseguiu sobreviver após ser internada em estado grave no Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão I). Passou por uma cirurgia para retirada das balas alojadas na cabeça e no rosto. Ainda no ano passado Eliézer foi preso e, em novembro de 2018, foi decidido pelo Júri Popular.

 

Link
Notícias Relacionadas »
ss